CARIOCA DIGITAL

logo-saude-v3

Rio abre o décimo polo para pacientes com dengue em Benfica

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) abriu nesta quarta-feira (14) mais um polo de atendimento para pacientes com dengue, em Benfica, no Super Centro Carioca de Saúde. Este é o décimo polo aberto no município do Rio. Outros nove pontos estão em funcionamento nos bairros de Curicica, Campo Grande, Santa Cruz, Del Castilho, Bangu, Madureira, Complexo do Alemão, Botafogo e Tijuca para o enfrentamento da epidemia. Todos os polos estão preparados para atender pacientes com dengue das 7h às 19h.

“Hoje inauguramos o nosso décimo polo, com capacidade para atender 120 pacientes por dia. Ao todo, conseguimos ampliar a nossa capacidade de atendimento para mil por dia. A Prefeitura está ampliando muito a rede assistencial devido ao aumento de casos, com os polos de atendimento de dengue. É muito importante que as pessoas com sintomas procurem uma unidade de saúde para fazer uma hidratação adequada e evitar o agravamento dos casos”, diz o secretário municipal de saúde, Daniel Soranz.

Luzenisa Rodrigues, de 47 anos, estava com sintomas desde domingo e quando soube da inauguração do novo polo perto de casa, buscou atendimento logo pela manhã. Luzenisa é moradora do bairro e conhecedora do Super Centro Carioca de Saúde: “Eu já vim fazer consultas e exames no Super Centro, sei que o trabalho aqui é ótimo. Hoje de manhã fiquei sabendo da inauguração e vim constatar o que eu já sabia: atendimento de primeira. Sempre com muita qualidade”, explica a paciente.

Diagnóstico e pontos de hidratação

Os polos são preparados para o diagnóstico e tratamento das pessoas com dengue, com pontos para hidratação venosa ou oral, conforme necessidade de cada caso. Pacientes com quadros mais graves e indicação de internação são regulados pela Central Municipal de Regulação e transferidos para leitos dedicados à dengue nos hospitais da rede de urgência e emergência do município. O Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), em Acari, é a unidade de concentração para a doença, inicialmente com 20 leitos. O HMRG, que durante a pandemia da covid-19 foi referência para o tratamento dos pacientes com quadros mais graves, tem expertise e preparo para passar rapidamente pelas alterações de fluxo necessárias em uma situação de epidemia.

Outras notícias: